7 robôs super avançados que podem dominar o mundo

Um robô não pode ferir um ser humano ou, por inação, permitir que um ser humano se machuque.

Um robô deve obedecer às ordens dadas pelos seres humanos, exceto quando tais ordens entrem em conflito com a Primeira Lei.

Um robô deve proteger sua própria existência, desde que tal proteção não entre em conflito com a Primeira e a Segunda Leis.

As três leis da robótica de Isaac Asimov estão soando cada vez mais como realidade à medida que nos aproximamos da eventual ascensão das máquinas.

Eles já estão tomando nossos empregos e estão se tornando nosso companheiro. E à medida que as redes neurais se tornam mais avançadas, aprendendo a pensar e falar por si mesmas, podemos também aceitar nosso destino como escravos mortais.

Veja a lista sugeridas por internautas da web, dos sete robôs com maior probabilidade de se revoltarem contra nós. 

Robô Pepper

Robô Pepper

Quando imagino a revolução iminente dos robôs, não é o Pepper que vejo na linha de frente.

Não, o elegante robô da Softbank certamente estará por trás dos bastidores, emitindo ordens com sua voz charmosa e automatizada e sentindo o desespero total de seus adversários humanos.

Alimentada por um sistema operacional personalizado, a Pepper possui uma câmera 3D, três rodas para mobilidade, articulações que se movem de 17 maneiras diferentes e uma bateria de 12 horas. E, felizmente para nossos futuros companheiros mortos, ela também oferece rituais funerários budistas.

Robô iCub

Não deixe que seu rosto querubim e baixa estatura o enganem: o iCub poderia liderar a próxima geração de cyborgs perniciosos.

Com apenas um metro de altura, o humanóide de código aberto foi projetado para interagir com o mundo da mesma maneira que uma criança. Ele pode engatinhar, sentar e alcançar certas habilidades motoras. Ele ainda vem com um cordão umbilical (que hospeda cabos Ethernet e de energia).

Ainda não está com medo? Assista ao iCub completar com sucesso uma série de tarefas preliminares via reconhecimento de voz e objeto no vídeo acima.

Próximo Robô – Carros autônomos

Carros autônomos

Eu sei que você acha exagerado citar os carros autônomos, essas máquinas passam a liberdade de sente-se, relaxe e veja o mundo passar.

Veículos autônomos podem ser tão pouco confiáveis ​​quanto os humanos – não vamos esquecer os recentes acidentes fatais da Uber e da Tesla. Mas, mais do que isso, não confio nesses carros autônomos, que pode passar por cima dos meus comandos, obedecer a ordens superiores das máquinas, trancar as portas e se jogar num penhasco por exemplo, como forma de punir os humanos.

Inteligência artificial DeepMind

Inteligência artificial DeepMind

A equipe de pesquisa por trás do algoritmo AlphaGo, do Google, no ano passado, passou para o “próximo conjunto de grandes desafios”: curar doenças, reduzir o consumo de energia e inventar novos materiais. O DeepMind do Google até deu aos robôs a capacidade de imaginar, criar uma linguagem ininteligível e planejar algo com antecedência.

Se esse não é o primeiro passo para uma reviravolta total, não sei o que é.

Robô Atlas

7 robôs super avançados que podem dominar o mundo

Apelidado de “o humanóide mais dinâmico do mundo”, o Atlas é definitivamente um para estar atento.

Um incrível feito da engenharia humana – com dois braços, duas pernas e um torso de plástico – é projetado para tarefas de busca e resgate; pode andar em terrenos acidentados, pegar objetos e empunhar armas sem suar.

Mas ninguém pode negar que o ciborgue bipedal da Boston Dynamics estará comandando o mundo em pouco tempo. (E fazendo backflips para comemorar.)

Robô Sophia

Robô Sophia

Projetado pela Hanson Robotics para se parecer com Audrey Hepburn, Sophia é descrita como “uma máquina genial em evolução”, cuja crescente inteligência a coloca na vanguarda da revolução dos robôs.

Ela estava até se preparando para ser apresentadora de programa, algo surreal e fora do comum.

Robô ASIMO

Robô ASIMO

Claro, ele está atualmente em exibição em um museu de Tóquio. Mas não pense que alguns painéis de vidro e câmeras de segurança impedirão que o ASIMO (Advanced Step in Innovative Mobility) se liberte.

Criado em 2000 pela Honda, o robô parece mais um brinquedo do que uma ameaça. Ele pode reconhecer objetos em movimento, posturas, gestos, seu ambiente, sons e rostos, tornando-se útil para muitas tarefas.

Isso são apenas suposições, mas com a evolução das máquinas, vai que alguma de fato queira dominar o mundo.

Redator

Edilson Félix é redator e co-fundador do TecnoGames Brasil. Vive constantemente conectado no mundo da tecnologia, surfando na onda das novidades.