• Facebook
  • Instagram
  • Twitter
Quando se trata de doenças, o diagnóstico médico tem que ser rápido e preciso pra que uma cura eficaz seja encontrada. As vezes diversos fatores impedem uma rápida detecção e ai que entra o uso da inteligência artificial pra ajudar no processo de diagnóstico.

A inteligência artificial pode futuramente revolucionar o diagnóstico médico

Quando se trata de doenças, o diagnóstico médico tem que ser rápido e preciso pra que uma cura eficaz seja encontrada. As vezes diversos fatores impedem uma rápida detecção e ai que entra o uso da inteligência artificial pra ajudar no processo de diagnóstico.

Já houve diversos casos em que a IA se mostrou muito eficiente, muitos temem o seu uso, mas a outros que a vê com bons olhos e como uma poderosa aliada no diagnóstico preventivos de futuras doenças.

A inteligência artificial pode futuramente revolucionar o diagnóstico médico

Essa ferramenta é essencial e cada vez mais, veremos notícias sobre o seu uso na área médica.

Há rumores que no futuro ela poderá substituir os médicos, Será? Do jeito que está evoluindo rápido, isso pode acontecer.

Diretor do Google diz que IA não substituirá os médicos

Diretor do Google diz que IA não substituirá os médicos

Alguns pesquisadores e cientistas de dados divulgaram recentemente os novos usos da inteligência artificial e também disseram que levará muito tempo até que robôs e tecnologias com inteligência artificial substitua profissionais da saúde, como por exemplo os médicos.

Phillip Nelson, diretor de engenharia da Google Research, foi mais enfático e disse que a IA não substituirá os médicos, eles são muito necessários para os humanos, e essa tecnologia poderá somente ajudá-los em diagnósticos mais rápidos e não substitui-los definitivamente.

Casos recente mostraram a eficiência da IA em diagnósticos precisos e rápido de algumas doenças, mas ai está uma questão, será que essa tecnologia poderá futuramente extinguir a profissão de médicos, já que ela está evoluindo cada vez mais rápido e ficando cada vez melhor.

Será que no futuro, os nossos médicos serão máquinas e não humanos, ninguém sabe, porque não da pra prevê o que acontecerá daqui pra frente.

Próteses de pernas usam inteligência artificial para ajudar pacientes a andar melhor e mais rápido

Próteses de pernas usam inteligência artificial para ajudar pacientes a andar melhor e mais rápido

Certamente não é nada agradável quando você começa a usar uma prótese de perna pela primeira. Muitos pacientes se sentem desconfortável com o equipamento e acabam levando muito tempo pra começar a dar os primeiros passos de novo. No entanto, pesquisadores parece ter encontrado uma solução pra isso, eles acreditam, que o uso de inteligência artificial nas penas protéticas pode acelerar o processo de recuperação, melhorando a mobilidade dos pacientes.

Crédito da imagem – Helen Huang

Os pesquisadores da Universidade Estadual da Carolina do Norte e da Universidade da Carolina do Norte disseram que a tecnologia usada seria chamada de “aprendizado por reforço” que ocorreria por meio de ajuste protético, onde a inteligência artificial analisa vários aspectos do membro, como rigidez, articulação e amplitudes dos movimentos, e a partir dessas análises faz ajustes na prótese proporcionado uma experiência de mobilidade mais confortável.

Em um teste, a prótese com inteligência artificial, conseguiu ajudar um paciente a caminhar naturalmente num terreno plano por 10 minutos.

Helen Huang ainda menciona que muitos passos precisam ser dados para que a tecnologia possa ser usada clinicamente.

VER FONTE

Rolls-Royce pretende usar IA para prever problemas em seus motores

Rolls-Royce pretende usar IA para prever problemas em seus motores

Automóveis de luxo representam apenas uma fração do que a Rolls-Royce faz, embora seja mais conhecida por fazer carros realmente caros. Um dos principais negócios da empresa é desenvolver motores para aviões. A gigante britânica uniu-se à Uptake, empresa de software de Inteligência Artificial com sede em Chicago, para prever problemas operacionais em sua frota de motores Trent para aviões.

A empresa sediada em Chicago vende soluções de inteligência artificial para empresas industriais que usam a tecnologia para prever o desempenho de máquinas complicadas, utilizando análise de dados e aprendizado de máquina.

Os motores Rolls-Royce Trent são usados ​​no Boeing 787 Dreamliner e no avião widebody Airbus A330neo. A empresa tem lidado com problemas relativas às pás em alguns de seus motores e isso acabou resultando na entrega de alguns deles para a Boeing e a Airbus.

Contudo, a Rolls-Royce tem pretensão de usar a tecnologia de inteligência artificial da Uptake para obter uma percepção mais profunda do desempenho de seus motores e melhorar ainda mais a frota Trent para seus clientes. “Com a IA industrial e técnicas de aprendizado de máquina, podemos aumentar o tempo de atividade de nossos motores e ajudar os clientes a prolongar a vida e o valor de seus ativos críticos”, acrescentou Tom Palmer, vice-presidente sênior de serviços para o negócio aeroespacial da empresa.

Qualcomm destaca desempenho da IA no Snapdragon 855

Qualcomm destaca desempenho da IA no Snapdragon 855

Durante a primeira palestra do Snapdragon Summit, a Qualcomm confirmou o nome da marca Snapdragon 855 para sua nova plataforma de processador high-end que fará parte dos próximos smartphones. No keynote de hoje, o desempenho da IA ​​foi o tópico principal.

De acordo com a Qualcomm, o Snapdragon 855 trará melhorias gerais no desempenho em 3X para cargas de trabalho de Inteligência Artificial (AI), graças ao trabalho combinado da GPU Adreno, do cluster de CPU Kryo e do DSP (Digital Signal Processor).

Qualcomm destaca desempenho da IA no Snapdragon 855

No momento, a Qualcomm não revelou a natureza exata das melhorias de hardware, mas a empresa alega melhorias de 2X em relação aos concorrentes mais próximos.

Qualcomm destaca desempenho da IA no Snapdragon 855

Além disso, a Qualcomm posiciona seus novos recursos Spectra ISP (Processamento de Sinal de Imagem) como o primeiro ISP de “Visão Computacional”. Isso significa que ele é rápido o suficiente para assumir tarefas de IA avançadas relacionadas à visão, como o reconhecimento de objetos por exemplo.

Qualcomm destaca desempenho da IA no Snapdragon 855

Mais detalhes não foram divulgados, provavelmente só serão revelados amanhã junto com o lançamento do Snapdragon 855.

Esta cadeira de rodas com base em IA pode ser controlada usando expressões faciais

Esta cadeira de rodas com base em IA pode ser controlada usando expressões faciais

Cadeiras de rodas, geralmente são usadas por pessoas que não podem se locomover normalmente. Pra tentar mudar esse fato e tentar dar mais liberdade para aqueles que dependem desse veiculo, pesquisadores de diversos meios, sempre inovam trazendo tecnologias pra facilitar a vida dos cadeirantes. Umas das pesquisas recém desenvolvida usa inteligência artificial ​​para controlar uma cadeira de rodas, a Intel e a Hoobox Robotics são as responsáveis pela aplicação dessa tecnologia.

Trabalhando juntos em uma parceria, as empresas desenvolveram um sistema chamado Wheelie 7, que tira proveito da IA, e permitirá ao usuário da cadeira de rodas controlá-lo usando nada mais do que suas expressões faciais. Os usuários podem definir quais expressões faciais eles querem usar para controlar a cadeira de rodas, e é ai que entra a IA, onde usará algoritmos para processar dados em tempo real para direcionar o movimento da cadeira de rodas.

Essas expressões faciais serão capturadas e registradas usando a câmera de profundidade 3D RealSense da Intel, que é ficará na frente da cadeira de rodas. Também é dito que ela é capaz de capturar e reconhecer expressões faciais tanto na luz solar quanto na iluminação fraca, então usá-la à noite não será problema.

Até agora, a tecnologia está sendo testada por mais de 60 pessoas nos EUA. Segundo o Dr. Paulo Pinheiro, co-fundador e CEO da HOOBOX Robotics, “O Wheelie 7 é o primeiro produto a usar expressões faciais para controlar uma cadeira de rodas. Isso requer precisões incríveis, e isso não seria possível sem a tecnologia da Intel. Estamos ajudando as pessoas a recuperar sua autonomia ”.

 

IBM desenvolve inteligência artificial para ajudar a criar novas fragrâncias

IBM desenvolve AI para ajudar a criar novas fragrâncias

Há pessoas no mundo cujos trabalhos são inventar fragrâncias usadas para perfumes, detergentes e assim por diante. Imaginamos que provavelmente não seja uma tarefa fácil tentar determinar que tipo de combinações funcionam e se elas serão atraentes ou não, o bom é se tivesse algum tipo de tecnologia que tornasse esse trabalho mais fácil, e a IBM acha que pode ajudar nesse campo.

A IBM Research desenvolveu uma IA que pode ajudar a criar fragrâncias. Isso graças a uma colaboração com a Symrise, uma das maiores produtoras do mundo em sabores e fragrâncias, onde a IA poderá aprender sobre fórmulas, matérias-primas que envolvem a criação de fragrâncias, dados históricos, tendências da indústria e muito mais. Tudo isso será importante pra chegar a combinações que podem ajudar a preencher as lacunas do mercado.

Apelidado de Philyra (em homenagem à deusa grega do perfume e da beleza ) e de acordo com a IBM, “Esse sistema usará algoritmos de aprendizado de máquina para filtrar centenas de milhares de fórmulas e milhares de matérias-primas, ajudando a identificar padrões e novidades que poderão resultar em boas combinações de fragrâncias.

Agora, isso não quer dizer que a IA substituirá os trabalhadores que inventam as fragrâncias, mas o uso dessa tecnologia ​​ajudará esses perfumistas a encontrar ideias para produtos futuros em um ritmo muito mais rápido do que antes.

Vamos envelhecer menos e a inteligência artificial no ajudará

Vamos envelhecer menos e a inteligência artificial no ajudará

Sim, salve o mundo ou, pelo menos, alivie alguns dos seus maiores problemas, como o envelhecimento da população. É o que a empresa espanhola Bismart quer fazer, que considera que o male acima mencionados poderia ser resolvidos ou minimizado com a ajuda da inteligência artificial (IA). Este foi o leitmotiv de um evento que foi realizado em junho passado em Barcelona, ​​organizado pela própria Bismart e pela Microsoft .

“O envelhecimento da população é um tsunami que nos arrasta a solidão, a epidemia da sociedade moderna”, diz Bismart. A utilização de Big Data e inteligência artificial para solucionar esses problemas é uma das soluções que propõe, com sistemas que permitem agregar dados sobre serviços, saúde, população, atividade econômica, uso de insumos básicos ou gerenciamento de resíduos para facilitar a previsão de grupos e territórios que precisam de ajuda.

“Estamos planejando mal. Os serviços sociais estão saturados e não estamos dedicando recursos de maneira eficiente. Além disso, o excesso de envelhecimento faz com que as doenças aumentem e se tornem mais complexas. Os cortes, devido à crise econômica, significam menos médicos, os médicos se aposentam e não são substituídos. “Diz Albert Isern, CEO da Bismart.

Esta é uma razão pela qual a empresa espanhola utiliza avançados sistemas de análise de dados que permitem evoluir a partir de um paliativo para uma abordagem proativa e alocar recursos de forma mais eficiente, garantindo assim que esses itens cheguem às pessoas que mais precisam.

A idéia é ser capaz de prever quando é necessário fornecer ajuda sem que os afetados tenham que pedir e antes que a emergência ocorra.
Graças aos algoritmos preditivos, é possível detectar quais territórios e tipos de famílias precisam de recursos, para que sejam distribuídos de acordo com a urgência e a prioridade. Assim, a administração pode saber quem tem que fornecer ajuda sem que a pessoa afetada ou a família tenha que pedir.

A Bismart também aplicou inteligência artificial ao gerenciamento de saúde com a ferramenta Folksonomy, que permite melhorar o manejo clínico por meio de tecnologias de Processamento de Linguagem Natural, tornando o diagnóstico médico mais eficiente e otimizando processos como o tratamento farmacológico. Na empresa, ressalta que essa tecnologia já está ajudando a obter processos muito mais precisos, para tomar as melhores decisões que garantam a segurança do paciente.

Uber usa IA para determinar se suas viagens são pessoais ou comerciais

Uber usa IA para determinar se suas viagens são pessoais ou comerciais

Hoje em dia usamos o uber pra tudo, inclusive pra viagens pessoais e comercias, só que na hora de separar esses gastos, certamente muita gente ficaria confuso se não fosse uma ajudinha do próprio uber.

A Uber anunciou que eles estarão aproveitando o uso da inteligência artificial para ajudar os usuários a gerenciar com mais precisão as suas viagem e assim manter um controle mais adequado dos gastos. De acordo com Uber, “Usando o aprendizado de máquina, podemos prever qual perfil – e qual é o método de pagamento é o mais utilizado, ajudando assim no controle dos gastos. Ao analisar bilhões de viagens a cada ano em um nível agregado, o Uber pode detectar padrões e tendências que predizem o propósito de uma viagem. ”

Além do uso da IA, o Uber também anunciou que adicionará um recurso de resolução de viagem no aplicativo que permitirá que os usuários revisem suas viagens e resolvam quaisquer problemas rapidamente.

Devemos salientar que esses recursos são para o Uber for Business, portanto, se a sua empresa usa e depende do Uber para transporte, esses novos recursos serão muito úteis.

Pesquisadores usam IA para tornar a manutenção de estradas mais eficiente

Pesquisadores usam IA para tornar a manutenção de estradas mais eficiente

Quando se trata de obras rodoviárias, existem vários fatores a considerar ao decidir quando e se deve ou não prosseguir com o trabalho de reparo de algumas estradas. Por exemplo, uma estrada que não é tão movimentada, muitas vezes deixa de ser prioridade quando se trata de enviar pessoas para consertá-las, e também há coisas a considerar, como o custo.

Na maioria das vezes, essas decisões são tomadas por seres humanos que às vezes podem ser ineficientes, razão pela qual pesquisadores da Universidade de Waterloo desenvolveram uma inteligência artificial que poderia potencialmente tornar a manutenção de estradas um processo mais eficiente. Embora vise a manutenção de estradas por enquanto, a IA também poderia ser expandida para cobrir a manutenção de pontes e edifícios.

Então, como isso funciona? Basicamente, através de imagens que podem ser obtidas através de serviços como o Google Street View ou fotos tiradas por trabalhadores, a inteligência artficial pode detectar e sinalizar problemas como buracos, rachaduras e defeitos. Isso pode levar a custos reduzidos de avaliação e também a reparos pontuais, que são ótimos porque podem produzir resultados uniformes.

De acordo com John Zelek, professor de engenharia da Waterloo, “Se os governos tiverem essa informação, eles podem planejar melhor quando reparar uma estrada, e ainda podem fazer isso num menor tempo possível com um custo menor”. Esta não é a primeira vez que a IA tem sido usada para trabalhos de reparo. O Exército dos EUA anunciou recentemente que usaria IA para prever quando fazer reparos em veículos.