Engenheiros criam “Marcapasso para o cérebro” pra ajudar a tratar distúrbios neurológicos

Se você conhece alguém que sofre de um problema cardíaco, há uma chance de que ele possa estar usando um marcapasso. Para quem não conhece, um marcapasso é um dispositivo projetado para ajudar a regular o ritmo cardíaco do usuário, ajudando a evitar ritmos anormais, como arritmias. Mas e se os marcapassos pudessem ser usados ​​para controlar outros órgãos?

Foi isso que engenheiros da Universidade da Califórnia, em Berkeley, fizeram quando criaram um neuroestimulador, que desde então tem sido chamado de “marca-passo para o cérebro” . O conceito por trás do estimulador é semelhante ao de um marcapasso para o coração, no qual monitora a atividade elétrica do cérebro. Após a detecção de que algo está errado, ajudará a fornecer estimulação elétrica.

De acordo com Rikky Muller, professor assistente de engenharia elétrica e ciências da computação em Berkeley, “o processo de encontrar a terapia certa para um paciente é extremamente caro e pode levar anos. Redução significativa tanto no custo quanto na duração pode levar a resultados e acessibilidade muito melhores. Queremos permitir que o dispositivo descubra qual é a melhor maneira de estimular um determinado paciente a fornecer os melhores resultados. E você só pode fazer isso escutando e registrando as assinaturas neurais ”.

O dispositivo será útil para pacientes que sofrem de tremores ou convulsões, mas ainda alguns ajustes serão feitos até estar pronto pra ser disponibilizado a quem precisa.

Redator

Edilson Félix é redator e co-fundador do TecnoGames Brasil. Vive constantemente conectado no mundo da tecnologia, surfando na onda das novidades.