Amazon quer reduzir dependência da Intel com a utilização de seus chips Graviton

Amazon Inc. introduziu seus próprios processadores de servidor chamados Graviton. Os chips vão desafiar os processadores da Intel que desempenharam um papel importante no serviço de computação em nuvem da Amazon.

A empresa de comércio eletrônico anunciou seus chips Graviton na segunda-feira, uma medida que é vista como o primeiro passo da Amazon para reduzir sua dependência da Intel. Há algum tempo, a empresa de fabricação de semicondutores fornece o componente mais importante dos servidores de computação em nuvem da Amazon. .

É possível que os chips Graviton possam se tornar os processadores preferênciais da Amazon em um futuro próximo, porque as novas unidades de circuitos eletrônicos suportam as versões mais recentes do principal serviço de computação em nuvem EC2 da varejista, segundo a Bloomberg .

O Annapurna Labs, uma startup que a Amazon adquiriu em 2015, projeta os chips Graviton. Os novos processadores utilizam tecnologia da unidade de design de software e semicondutores do Softbank Group, a ARM Holdings. Os chips Graviton são capazes de executar serviços web e aplicativos que não são tão intensivos, e eles funcionam bem mesmo quando vários servidores trabalham na mesma tarefa.

Apesar de a Amazon ter lançado seus próprios chips, a Intel continuará a ser o principal fornecedor de processadores para servidores cloud e de computação de ponta da empresa, confirmou o vice-presidente da Amazon Web Services, Matt Garman.

Garman esclareceu que a Amazon simplesmente criou seus próprios chips porque viu a oportunidade de a tecnologia rival prosperar. Ele também afirmou que a Amazon quer distinguir seus chips dos processadores da Intel. “Queremos nos diferenciar e atender a todos os casos de uso que nossos clientes apresentarem”, disse Garman.

Redator

Edilson Félix é redator e co-fundador do TecnoGames Brasil. Vive constantemente conectado no mundo da tecnologia, surfando na onda das novidades.