CEO da Audi é preso por suposta participação no escândalo da Dieselgate

O CEO da Audi, Rupert Stadler, foi preso hoje, uma semana depois de sua casa ter sido invadida por promotores alemães. Ele teria sido detido por  suposto envolvimento no caso Dieselgate, um escândalo desenterrado em 2015 que revelou que a Volkswagen, empresa-mãe da Audi, instalou um software em seus veículos que alterava os números de emissões de poluentes quando os carros eram submetidos a testes.

O dispositivo acionava controles de emissões que normalmente eram desligados para que parecesse que os automóveis estavam dentro dos regulamentos.

A Volkswagen admitiu ter instalado o software fraudulento em 11 milhões de veículos a diesel e no ano passado se declarou culpado de um punhado de acusações do Departamento de Justiça dos EUA. De lá pra cá a empresa alegou que já contabilizou muitos prejuízos após o escândalo.

A Volkswagen tinha estendido o contrato de Stadler em abril e deu a ele uma nova posição em uma divisão de carros premium, informa o Financial Times. E ainda Stadler afirmou que não tinha conhecimento do escândalo.

Redator

Edilson Félix é redator e co-fundador do TecnoGames Brasil. Vive constantemente conectado no mundo da tecnologia, surfando na onda das novidades.