É realmente necessário ejetar os dispositivos USB com segurança?

Embora muitos usuários não gostam desta etapa, mas ejetar um USB com segurança é importante porque, caso contrário, as informações armazenadas podem ficar corrompidas.

Mas é realmente necessário ejetar uma memória USB com segurança?

Na verdade, essa é uma pergunta simples e complexa ao mesmo tempo, embora a resposta mais simples seja a de que devemos sempre ejetar a unidade antes de extraí-la. Para isso, Mac e Linux possuem um botão para esse fim, o problema é que no Windows nem sempre é tão simples, pois devemos procurar o ícone ” Remover hardware com segurança ” na bandeja do sistema para exibir a lista com os dispositivos conectados. .

De acordo com Phillip Remaker, engenheiro de serviço da Cisco Systems, os sistemas operacionais são projetados para ter certeza de que os drives externos não serão alterados abruptamente. “Ao ler ou gravar arquivos, o sistema operacional espera que os arquivos permaneçam acessíveis e não subitamente desapareçam no meio da leitura ou no meio da escrita”, explicou ele no Quora. Se um programa estiver simplesmente navegando, sem a intenção de reter informações, provavelmente não importará se o disco desaparecer inesperadamente.

O perigo de extrair um USB acentuadamente é que os dados podem ser corrompidos e, mesmo se a unidade não estiver funcionando, corremos o risco de perder as informações armazenadas, pois, por padrão, a maioria dos sistemas operacionais usa o cache para melhorar o desempenho da uinidade. Nesses casos, a ejeção correta do dispositivo diz ao sistema para esvaziar o cache e garantir que todas as ações pendentes foram concluídas e que nenhum processo será interrompido.

A maneira como o Windows gerencia o cache é menos previsível que no Mac ou no Linux. O sistema operacional da Microsoft normalmente desativa unidades padrão do buffer ” removível ” para que muitos dos usuários remova o USB adequadamente reduzindo a probabilidade de corrupção dos dados.

Mas problemas podem ocorrer se o Windows não detectar uma unidade externa, aumentando as chances de corromper os dados. O usuário pode editar as configurações de cache clicando com o botão direito do mouse no ícone USB e selecionando Propriedades. Na aba ” Policies “, marcando ” Quick deletion “, mas ai a memória cache é desativada, diminuindo o desempenho.

Mas o cache não é o único responsável pela perda de dados. Às vezes, os programas que operam em segundo plano bloqueiam um item armazenado em um USB e, quando o usuário prossegue para removê-lo, ai aparece uma mensagem dizendo ” arquivo em uso “. Para resolvê-lo, é só você entrar no Gerenciador de tarefas para ejetar a memória com segurança e evitar a perda de dados.

Em suma, há apenas uma razão para não ejetar o USB com segurança, é a preguiça de fazer o procedimento correto. Pois no melhor das hipóteses, é bom se acostumar e fazer do jeito certo, para evitar problemas depois.

Redator

Edilson Félix é redator e co-fundador do TecnoGames Brasil. Vive constantemente conectado no mundo da tecnologia, surfando na onda das novidades.