• Facebook
  • Instagram
  • Twitter
Bosch planeja usar propulsores laterais para evitar acidentes com moto

Bosch planeja usar propulsores laterais para evitar acidentes com moto

Por

18/05/18 às 17:10

Os fabricantes esforçam-se ao máximo para tornar suas motocicletas o mais seguras possível e, geralmente, a tarefa é tratada por equipamentos eletrônicos, como controle de tração, ABS em curvas e suspensões eletrônicas. Aparentemente, ninguém havia pensado em empregar propulsores para ajudar uma motocicleta se manter firme no asfalto. Até a Bosch, é claro.

Como todo piloto deve saber, não existe uma motocicleta livre de quedas. Existem muitas variáveis ​​que determinam o equilíbrio dinâmico de um veículo de duas rodas em movimento, e uma boa parte delas não depende do piloto.

Um dos percalços mais comuns que um piloto enfrentará mais cedo ou mais tarde em vias públicas é a parte baixa, que é geralmente o resultado da roda dianteira perder a tração. Não importa o quão bem equipada seja uma motocicleta em termos de características de segurança, há muito pouco que um sensor eletrônico pode fazer se um piloto inclina para um canto muito rápido, ou freia demais, por exemplo.

Na maioria das vezes e para a maioria dos pilotos, escapar de uma baixa é um caso de pura sorte e talvez um pouco de experiência; manter o acelerador aberto é provavelmente a única coisa que pode salvar o dia se houver espaço suficiente para a moto recuperar a tração.

Para a Bosch, no entanto, existe uma abordagem alternativa para escapar de uma baixa, no termo mais simples de uma queda.

A Bosch sugere o uso de um tipo de propulsores laterais para contrair o deslizamento da moto, fazendo com que ela se mantenha aderindo no chão e não escorregue, mesmo em grandes inclinações. A maioria das motocicletas modernas já está equipada com sensores que podem identificar quando uma roda deriva para os lados, então, o uso desta tecnologia ajudaria contrabalancear o deslizamento, mantendo a bicicleta ereta e em sua trajetória.

Há várias perguntas que vêm à mente sobre essa ideia. Quanto isso aumentaria o peso de uma motocicleta? Como se sairá quando a perda de tração não for o resultado de um pneu correndo sobre algo escorregadio, mas sim de um piloto correndo muito rápido? Poderia a tentativa de corrigir o resultado em baixo o transformando em um ponto alto, fazendo o piloto voar?

São perguntas sem respostas por enquanto, mas como se trata de um protótipo, concerteza muitas melhorias ainda serão incorporadas ao produto final.

Deixe seu comentário