• Facebook
  • Instagram
  • Twitter
A partir de 2020, novas casas construídas na Califórnia terão que ter painéis solares

A partir de 2020, novas casas construídas na Califórnia terão que ter painéis solares

Por

10/05/18 às 17:56

A partir de 1 de janeiro de 2020, todas as novas casas construídas na Califórnia serão obrigadas a ter sistemas fotovoltaicos solares. A decisão é parte dos recém-instituídos Padrões de Eficiência de Energia de Edifícios de 2019 da Comissão de Energia da Califórnia, cujo objetivo é reduzir as emissões de gases de efeito estufa “em um montante que equivale a quantidade de 115.000 carros movidos a combustíveis fósseis”.

Juntamente com a adição de painéis solares, as novas residências da Califórnia também terão que atender aos padrões atualizados de envoltório térmico, que impedem a transferência de calor do interior do edifício para o exterior e vice-versa. Sistemas de ventilação que minimizem a poluição do ar de fontes externas e internas também serão necessários.

E sim, esses requisitos custarão inicialmente mais dinheiro aos proprietários, mas que a longo prazo já é recuperado.

De acordo com a Comissão de Energia da Califórnia, aderir aos padrões de 2019 adicionará cerca de US$ 9.500 a mais de custo para construir uma casa, mas por outro lado compensa, porquê diminuirá os custos de energia e manutenção para até US$ 19.000 nos próximos 30 anos.

No total, as casas construídas de acordo com os padrões de 2019 devem usar cerca de 53% menos energia do que aquelas construídas de acordo com os padrões de 2016 existentes. Nos próximos três anos, isso deve reduzir as emissões de gases do efeito estufa do estado em até 700.000 toneladas.

“Sob esses novos padrões, os edifícios terão um desempenho melhor do que nunca, ao mesmo tempo em que contribuem para uma rede confiável”, disse o comissário Andrew McAllister, chefe da Comissão de Energia sobre eficiência energética. “Os edifícios que os californianos compram e vivem operam de maneira muito eficiente enquanto geram sua própria energia limpa. Custam menos para operar, têm ar interno saudável e fornecem uma plataforma para tecnologias ‘inteligentes’ que impulsionarão o estado ainda mais na estrada para um futuro de baixas emissões “.

Deixe seu comentário