Hospitais da China recorrem a inteligência artificial para compensar escassez de médicos

Nós já usamos a inteligência artificial em medicina para examinar exames médicos e detectar sinais de diabetes, entre outras aplicações. Na China, porém, a inteligência artificial pode fazer mais do que apenas ajudar os profissionais da área médica: ela pode ajudar a aliviar a escassez de médicos no país. Um hospital em Pequim, por exemplo, começará a executar todos os exames de pulmão por meio de um algoritmo que pode acelerar o processo de triagem a partir do próximo mês. O software foi desenvolvido por uma startup de Pequim chamada PereDoc, e pode detectar rapidamente nódulos e outros sinais precoces de doenças pulmonares.

De acordo com a Technology Review do MIT, a China vem reforçando suas instalações de saúde com ferramentas da inteligência artificial como parte de sua iniciativa nacional, especialmente porque há apenas 1,5 médicos para cada mil pessoas no país, contra 2,5 para cada mil nos EUA. Um relatório recente da IDC chegou a afirmar que o mercado de serviços de saúde de inteligência artificial da China poderia chegar a US $ 930 milhões até 2022. Que a China tem uma necessidade maior de ferramentas de inteligência artificial e restrições mais flexíveis provavelmente ajudará a torná-la realidade. De fato, pesquisadores locais já estão desenvolvendo várias ferramentas com inteligência artificial para a medicina, incluindo uma que pode projetar dentaduras e outra que pode analisar dados de ultrassonografia para detectar coágulos sanguíneos causados ​​pelo tratamento do linfoma.

Quanto à Peredoc, ela desenvolveu e continua a refinar seu software com a ajuda de 180 hospitais que atuam como colaboradores de pesquisa. O hospital de Pequim, que começará a fornecer seus exames de pulmão ao software da Peredoc, no mês que vem, trata de cerca de 10 mil pacientes todos os dias. Com muitos pacientes, os médicos não têm tempo para examinar minuciosamente cada exame – o algoritmo não apenas garante uma bom diagnóstico dos exames, mas também alivia e muito a sobrecarga dos médicos. A Peredoc já instalou seu software em 20 hospitais na China, mas se a maioria dos hospitais tiver uma situação semelhante à de Pequim, provavelmente será instalado em quase todo o país.

Redator

Edilson Félix é redator e co-fundador do TecnoGames Brasil. Vive constantemente conectado no mundo da tecnologia, surfando na onda das novidades.